Super Peso Brasil em São Paulo no Carioca Club

Publicado em 10/11/2013

SUPER PESO BRASIL
09/11/2013 no Carioca Club em São Paulo

Por Marialva Lima


Logo na entrada dava para notar a empolgação dos headbangers que compareceram em peso para prestigiar as grandes lendas, os pioneiros do metal nacional. Uma oportunidade histórica de ver Taurus, Centúrias, Metalmorfose, Salário Mínimo e Stress dividindo o mesmo palco. Gerações de fãs ansiosos e empolgados.

A casa abriu pontualmente às 16h00, pois os organizadores haviam dito anteriormente que seguiriam à risca os horários e assim foi feito.

Marcello Pompeu do Korzus subiu ao palco para saudar e agradecer aos fãs presentes e às 16h30 o sorteio de uma guitarra autografada por Andreas Kisser foi realizado.
Logo em seguida, o palco já estava sendo preparado para o início desta grande festa que foi com certeza uma enorme emoção para as bandas. Todos os músicos fizeram questão de agradecer a presença e o apoio dos fãs, dizendo sempre ‘Sem vocês nada disto seria possível’.

Foi uma viagem no túnel do tempo. Anos 80 voltando à memória de cada um ali presente. Todas as bandas contaram com a participação de um convidado especial, assim, o público pode rever e ouvir lendas vivas do metal nacional como Luiz Carlos Louzada, Lucky Luciano, Vitor Rodrigues, André Gois e Jack Santiago. Todos aplaudidos e ovacionados pelo público.

Quando Taurus entrou no palco a euforia foi contagiante. A banda do Rio de Janeiro tocou todos os seus clássicos desde seu álbum ‘Signo de Taurus’, passando por ‘Pornography’ e ‘Fissura’. Fez os fãs baterem cabeça e cantar juntos com: ‘Batalha Final’, ‘Dias de cão’, ‘Damien’ e ‘Mundo em Alerta’. Taurus fez um show empolgante e fechou com ‘Massacre’ que foi cantada em uníssono mostrando que todos estão unidos para salvar o metal.

A banda Centúrias de São Paulo tocou na íntegra seu álbum ’Ninja’ e também outros clássicos como ‘Duas Rodas’, ‘Portas Negras’, ‘Não pense, não fale’. A galera cantou junto e foi à loucura quando o vocalista Nilton Cachorrão Zanelli levantou uma placa de ‘Fora Posers’.

A empolgação foi geral quando Metalmorfose subiu ao palco. A banda fez um show incrível e a galera entoou os clássicos desta banda oitentista como ‘Desejo imortal’, ‘Cavaleiro Negro’, ‘Metalmorfose’, ‘Minha droga é o metal’ e ‘Satã Clama metal’. Eles tocaram desde músicas de seu primeiro álbum ‘Ultimatum’ até do último ‘Máquina dos sentidos’.

Quarta banda a tocar, Salário Mínimo resgatou perfeitamente a atmosfera dos anos 80 ao lançar uma chuva de papéis picados sob as cabeças dos headbangers ali presentes. Todos cantaram em coro os clássicos da banda, como ‘Beijo Fatal’, ‘Delírio Estelar’, ‘Dama da Noite’, ‘Anjos da escuridão’ e ‘Noite de rock’.

Os paraenses do Stress foram os últimos a tocar. A banda que lançou o primeiro LP de metal do Brasil fez um show contagiante e todo mundo bateu cabeça ao som de clássicos do metal nacional como ‘Heavy Metal’, ‘Não desista’, ‘Mate o réu’ e ‘Coração de Metal’. O vocalista Roosevelt Bala mostrou dois vinis da banda no palco e disse ‘Vou jogar pra vocês, mas vocês tem que prometer não rasgar e quem pegar vai ganhar um vinil autografado pela banda.’ Foi um gesto de confiança que deu resultado, por que os caras que pegaram os vinis levantaram eles intactos.

A banda encerrou o show com ‘Sodoma e Gomorra’, mas antes disto, chamou todas as bandas que tinha tocado anteriormente para subir ao palco, tirar foto e cantar junto, além disso, todos gritaram em uníssono ‘Batalha, Batalha, Batalha’ em agradecimento ao organizador do evento Ricardo Batalha. Foi um evento inesquecível.

Eu nasci em 1983 e estas bandas que vi tocar ontem já tocavam bem antes de eu nascer, portanto para mim foi uma oportunidade fantástica de ouvir todas elas ao vivo, de ver todos aqueles músicos no mesmo palco mostrando que heavy metal em português também é maravilhoso e que o metal nacional tem tradição e a cena brasileira é uma cena forte.

A emoção que os músicos sentiram ao tocar juntos novamente em um evento de casa cheia com fãs de diferentes gerações cantando em coro seus clássicos foi evidente, todos estavam felizes e tocaram com a alma.

Para mim, Super Peso Brasil foi realmente a maior celebração do metal nacional e eu fiquei imensamente feliz de ter podido participar de um evento como este.

Autor: Marialva Lima