Nile em Porto Alegre no Bar Opinião

Publicado em 09/01/2014

NILE em Porto Alegre
22 de dezembro de 2013
Bar Opinião

Resenha: Monique Hoffelder
Fotos: Sophia Velho


O Death Metal de NILE no Urânio Extreme Festival

Por volta das 21h, começa a tocar a primeira das três bandas de abertura para aquecer a galera, enquanto não começava o show da banda NILE. Blood Violence mostra um show energético e contagiante. A banda se destaca pela performance e guturais do vocalista, que consegue oscilar entre vocais graves e agudos e segurar bem os guturais.
Exterminate, ovacionada pela galera desde o início da primeira música que tocaram, foi a segunda banda que se apresentou no Opinião, com seu death metal empolgante já conhecido da galera que formou o pogo no meio da pista cheia.

Até então, ao sair do palco, as bandas de abertura deixaram o público presente na expectativa de um 'bis'. Mas o tempo parecia limitado e na noite de shows teria mais uma apresentação antes da NILE, com a banda de black metal Frost Despair, a terceira e última banda de abertura.

Ansiosamente, a galera esperava pelo show da NILE, que hesitava a começar devido a alguns problemas de ajuste no som.

A banda estadunidense de death metal NILE, iniciou o show por volta das 23h. "Vocês querem ouvir as músicas do novo álbum, estão preparados?" exclamou o vocalista Dallas Toler-Wade.

Preparando o público para a quebradeira que estava por vir, o vocalista e guitarrista Dallas, brincou com a galera os incentivando a apoiá-lo em pedir para que o baterista não se empolgasse tanto a ponto que quebrar a bateria. Pediu para que todos repetissem com ele: "Don't break your drums, George!" Todos falaram em coro a pedido do vocalista enquanto George Kollias se preparava para detonar na bateria e agitar a noite do festival. Ao intervalo de cada música, o público clamava por NILE.
"Vocês estão cansados?" disse o vocalista e a galera gritou: "Não!" E Dallas replicou: "Querem ficar mais cansados? Querem ouvir mais músicas?" e todos responderam: "Yeahh!".

Da metade para o final do show da NILE, todos curtem o som numa legião massiva de headbangers em plena pista e sem hesitar, a galera abria outro pogo. Com vigor e energia, a banda demonstrava muita satisfação em tocar para o Opinião cheio de fãs que aguardaram ansiosamente por aquele momento, empenhando-se em fazer valer a pena cada hematoma contabilizado ali.

NILE deixou o palco do Urânio Extreme Festival no Opinião ovacionada pelo público às 00h35. No final do show, o guitarrista e vocal Karl Sanders, desceu do palco para cumprimentar os fãs, distribuir palhetas e os playlist, além de atender aos pedidos de fotos, em seguida, o baixista Todd Ellis também veio do backstage para conversar com os fãs que aguardavam depois do show em frente ao palco.

Formada por Karl Sanders (vocal e guitarra), Dallas Toler-Wade (vocal e guitarra), George Kollias (bateria) e Todd Ellis (baixo), NILE tem mais de 20 anos de estrada, busca inspiração para as músicas na mitologia egípcia, árabe e mesopotâmica. Depois da primeira passagem em 2010, a banda voltou pela segunda vez a se apresentar no Brasil com a turnê intitulada “At the Gate of Sethu 2013 Tour” em Curitiba, São Paulo e encerrando a seqüência de show na América Latina, em Porto Alegre.