Tigers of Pan Tang & Picture em São Paulo no Carioca Club

Publicado em 14/12/2018


Tigers of Pan Tang & Picture em São Paulo

Carioca Clube 13 de Março

Texto: Adriano Coelho

Literalmente dois ícones da chamada New Wave of Brithish Heavy Metal, se apresentaram no Brasil, eles não ficaram famosos como ícones Manowar, Saxon e Accept, muito menos da super banda Iron Maiden, mas, quem ainda cultiva o espirito anos de 1980, com certeza sabe a importância dessas duas bandas.

A primeira a se apresentar foram os britânicos do Tygers of Pan Tang, a banda que desde 1999 faz apresentações ininterruptas, depois de uma pausa de doze anos na carreira, lançando inclusive um trabalho em 2012, o guitarrista Rob Weir é o único da formação original, o grupo tem os três primeiros álbuns, considerados como um marco na historia do metal, são eles Wild Cat, Spelbound e Crazy Nights. Mas, infelizmente hoje não é o lendário vocalista Jess Cox que faz parte do time, é sim, o esforçado Jacopo Meille, lembrando que eles já tiveram como guitarrista John Sykes, que depois atuou no Whitesnake e Thinn Lizzy. A banda entra em cena, o pouco publico fica no delírio, abrem com “Euthanasia”, o show segue com “Wild Catz”, “Insanity”, “Helbound”, mas, vou afirmar que as que mais causaram alvoroço, foram: “Love Don’t Stay” e “Gangland” levaram quinze musicas, e encerraram com a clássica “Love Potion nº 9”, aquele show que agitou, mas, a banda mostra limitações, talvez falta mais entrosamento.

Os holandeses do Picture eram a próxima atração, também tocaram quinze musicas, o baixista Rinus é o remanescente da primeira formação, além do vocalista Pete, que está no conjunto desde o segundo álbum, a banda que é dona de álbuns clássicos da musica pesada como Diamond Dreamer e Eternal Dark, apenas vinte minutos de intervalo, de uma banda para a outra e, o Picture está no palco, eles estavam com mais gás, mais vontade e mais ensaiados que os britânicos, lembrando que o baixista há um tempo atrás, sofreu um AVC, que quase encerra sua carreira, e foi um petardo atrás do outro, “Message from Hell”, “Diamond Dreamer”, “You’re all Alone”, “Bombers”, “Choosing Your Sign”, fechando com uma das preferidas do publico “Lady Lightning”, o baterista Bakker arremessou as baquetas, apesar do Picture ter sido melhor, as bandas saíram com moral, pela determinação e, dedicação que o tempo não apaga, além de ambas terem conversado e muito com o publico, Destaque negativo, foi de dois babacas na plateia, um que estava incomodado com as manifestações que ocorriam na paulista, e gritava que metal de direita, não podia existir, que metal tem que ser de esquerda e, outro banal, que berrava que apesar de velho, ainda era bom de briga, dando soco no peito, ou seja, idiotice, também não é apagada com o tempo.