data-ad-client="ca-pub-9371512119858190" data-ad-slot="5580438127" data-ad-format="link" data-full-width-responsive="true">

W.A.S.P. em São Paulo

Publicado em 12/04/2010
W.A.S.P.
10 de abril de 2010 - São Paulo/SP
Santana Hall


Por Coluna Rock Station - www.jcrnet.com.br

“Abertura da casa 17:00 horas. Início do show 18:30 (pontualmente)” – Era o que dizia o material de divulgação, e o que estava inclusive impresso nos ingressos, era também uma das maiores preocupações da organização e dos fãs que foram até o Santana Hall neste sábado dia 10 de abril, inseguros sobre a possibilidade de haver ou não o show, já que em Curitiba, no dia anterior a banda havia cancelado o show alegando falta de condições para tocar.

Do lado de fora, já passadas às 17 horas, e a com casa ainda não aberta, centenas de fãs se aglomeravam na entrada do Santana Hall em busca de informações, sobre qual das duas filas pegar, sobre venda de ingressos, querendo saber o motivo do atraso para a abertura e quando finalmente poderíamos acessar o interior da casa. Enfim, um festival de falta de informações.

As informações oficiais vindas da produção davam conta que a banda estava passando e ajustando o som, quando já deveriam na verdade estar tocando para o público, que já começava a perder a paciência.

As 19:45, finalmente a equipe do W.A.S.P (que passou o som até esta hora) deu o aval para a produção do evento liberar a entrada do público, e nem é preciso dizer que houve um principio de tumulto, com empurra-empurra, que felizmente foi controlado pela segurança do local, que trabalhou muito bem diga-se de passagem.

Outra peculiaridade deste evento foi a solução encontrada para entregar as credenciais para os veículos de imprensa que iriam cobrir o evento. Para pegar a credencial tivemos que passar pelo mesmo guichê onde estavam sendo vendidas as entradas ao público, passando na frente de quem estava na enorme fila, uma situação no mínimo constrangedora, mas ainda bem que o público dos shows de Rock em geral é de paz e foi muito compreensivo. Mas a solução podia ter sido melhor.
Guns n’ Roses e agora o W.A.S.P.! Espero sinceramente que essa onda de atrasar shows por horas não vire tradição daqui pra frente.

Enfim o show.
Passados os transtornos inicias dessa aventura, vamos falar do show do W.A.S.P., que não vinha ao Brasil desde 2005.
Com duas horas de atraso, portanto, começou a música de introdução, sendo seguida por “On Your Knees” e “The Real Me”, que fez com que todos os presentes até se esquecessem do atraso.
A qualidade do som era perfeita, e sem muita conversa Blackie Lawless, líder e fundador do W.A.S.P., anunciava música a música seus clássicos e também duas do último álbum, Babylon, de 2009.
Uma das grandes atrações do show, além da banda é claro, foram as imagens projetadas no telão durante algumas músicas. Imagens estas dos clipes da banda em suas diversas fases, perfeitamente sincronizadas com o que estava sendo tocado no momento, foi incrível ver o nível de sincronia.
A banda toda é muito boa, muito técnica e executaram as músicas com a perfeição do estúdio. Doug Blair (guitarra), Mike Duda (baixo) e Mike Dupke (bateria), mostraram que tem muito a contribuir para com a história do W.A.S.P., já Blackie Lawless (guitarra e vocais), apesar da fama de ser uma pessoa difícil, quando sobe no palco se transforma num frontman excelente, hipnotizando a platéia, e continua cantando como sempre, impressionante ver que a voz é a mesma em todas as fases da banda.

Mesmo sem as excentricidades que um dia já fizeram parte dos espetáculos do W.A.S.P., principalmente nos anos 80, no auge da carreira, o show ainda é uma grande diversão, principalmente por conta dos clássicos do Hard n’ Heavy, como “Wild Child”, “Chainsaw Charlie”, “Blind In Texas”, “Hellion”, “I Don't Need No Doctor” e o maior hit “I Wanna Be Somebody”, que você pode ver no link http://www.youtube.com/watch?v=trGXyjTr5TI, nessa filmagem exclusiva do Rock Station.

Concluindo, no final o saldo foi positivo, foi um show tecnicamente perfeito, algumas pessoas podem julgar o set list, ótimo, é sinal que a banda tem muitos clássicos que ficaram de fora, ou reclamar do tempo de show, de apenas uma hora e meia, mas muitas bandas ficam duas horas em cima do palco, mas poluem o show com solo de bateria, guitarra, baixo, cantoria da platéia e até aquelas ridículas competições de gritos entre o pessoal da direita contra o pessoal da esquerda, e musicalmente não chegam a tocar nem uma hora e vinte. O show do W.A.S.P. neste sábado foi cru, música acima de tudo, como eu penso que deve ser um show de Rock, e foi o que todos fomos buscar.

Set List
1. Intro _ Mephisto Waltz
2. On Your Knees / The Real Me
3. L.O.V.E. Machine
4. Crazy
5. Babylon's Burning
6. Wild Child
7. Hellion / I Don't Need No Doctor / Scream Until You Like It
8. Arena Of Pleasure
9. Chainsaw Charlie (Murders in the New Morgue)
10. The Idol
11. I Wanna Be Somebody
Encore:
12. Heaven's Hung in Black
13. Blind In Texas

Formação:
Blackie Lawless - voz e guitarra
Doug Blair - guitarra
Mike Duda - baixo
Mike Dupke – bateria

Agradecimentos: Negri Eventos, Santana Hall e Miriam Martinez

PROGRAMA ROCK STATION
Sua Alternativa nas Noites de Sábado!
5 anos no ar.
Todo Sábado - 21:00 horas na Alternativa FM - 106.3 Mhz
Apresentação e Produção: Renato Alves e Adriana Bueno

E-mail e MSN: programarockstation@hotmail.com
Twitter: @rockstation
programarockstation.blogspot.com