data-ad-client="ca-pub-9371512119858190" data-ad-slot="5580438127" data-ad-format="link" data-full-width-responsive="true">

Suicidal Tendencies no Rio de Janeiro

Publicado em 13/08/2008
Suicidal Tendencies no RJ
02/08/2008 - Circo Voador - Rio De Janeiro/RJ


Depois de ter ficado com água na boca quando o Suicidal Tendencies esteve em São Paulo, em maio deste ano e não pisou no Rio de Janeiro, o público carioca pôde conferir Srº Muir e Cia sob a lona do Circo Voador.
A informação da vinda deles foi uma grande surpresa para os fãs que, por alguns momentos, duvidaram e pensaram ser mais um daqueles boatos que permeiam o mundo do rock. Enfim, data confirmada, valor (salgado) divulgado e logo chegou o dia do show.
A casa abriu os portões às 22h e o show aconteceu num clima de festa para amigos e conhecidos de longa data. Tinha rampa de skate no “quintalâ€? do Circo para os mais dispostos a arriscar algumas manobras antes do show e, para surpresa da grande maioria presente, por volta das 23h uma banda sobe ao palco e não era o ST. Era uma banda de abertura, a Sayowa, que não foi divulgada e que ficou por uns 30 minutos no palco do Circo Voador, atraindo algumas pessoas para dentro da lona, enquanto outras preferiram tomar alguns chopps e guardar energias para a hora em que Srº Muir subisse ao palco.
Show da surpresa terminado, hora de se preparar para começar a diversão. Quem pensou em memorizar onde estava o amigo pelo boné (aquele oficial do ST) ou pela Bandana, não se deu muito bem. Eram bonés e bandanas pra tudo quanto é lado, mais bonés do que bandanas (estilo carioca de ser...).
Enfim, show iniciado. E, covardemente os caras já começam com “You cant bring me downâ€? e o primeiro circle pit é aberto, brutal, porém pacífico. Nada de pseudo-rockeiros desavisados, porrando todo mundo. Quem tava ali, estava em sintonia e queria mais era se divertir. Nem a presença de skates no meio do show provocou incidentes, ao contrário, tudo se encaixava. No palco, o que se via era uma banda satisfeita, tocando com prazer e divertindo-se com quem cismava em subir ao palco.
A brutalidade continuou, com Steve Bunner simplesmente destruindo no baixo e roubando o show em alguns momentos. Na seqüência eles tocaram “We are familyâ€?, “Send me your moneyâ€? e “Cyco Visionâ€?, uma das mais populares da banda e que provocou mais um circle pit insano.
Foram cerca de 80 minutos de show, que terminou com gosto de pouco, já que uma das músicas mais esperadas pelo público ficou só no set list: "Institutionalized".
Nada é perfeito...

Por: Deise Santos
www.zonapunk.com.br